04/12/2012

'Por onde ele anda, é ovacionado', afirma ministro em defesa de Lula


Share/Bookmark

FLÁVIA FOREQUE
DE BRASÍLIA


O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral) defendeu nesta terça-feira (4) o governo do ex-presidente Lula e afirmou que a Operação Porto Seguro, que apura esquema de corrupção e tráfico de influência dentro do governo federal.

Entre os investigados na operação estão Rosemary Noronha, ex-chefe do escritório da Presidência em São Paulo, com quem Lula tinha uma relação íntima.

"Não é o erro de uma ou de outra pessoa que vai atrapalhar esse projeto que está se consolidando como um projeto de um novo país, onde finamente os esquecidos e excluídos são lembrados, são cuidados. Isso não há campanha, não há erro de algumas pessoas que vai apagar", afirmou o ministro após participar de cúpula social do Mercosul, em Brasília.

Alan Marques - 15.ago.12/Folhapress
O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência) durante evento no Palácio do Planalto
O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência) durante evento no Palácio do Planalto

Segundo Carvalho, "o Brasil precisava passar pelo que está passando". O ministro destacou que o ex-presidente é "ovacionado" pela população - durante a cerimônia, foi exibido um vídeo com Lula em que ele lamentava a ausência no evento e defendia o bloco formado entre os países da América do Sul.

"O povo brasileiro sabe o que o nosso governo realizou e está realizando. (...) Por onde ele anda, ele é endeusado, diferente de outros. Porque nós lutamos com amor pelo país.

O ministro disse que o governo continua "de cabeça erguida". "Eu tenho um orgulho absoluto do presidente Lula."

"Por onde eu ando, eu vejo o nosso presidente Lula reconhecido e amado pelo povo. Para mim isso é o que conta. É a nossa sintonia com o povo", disse.

FHC

Questionado sobre declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Gilberto Carvalho fez críticas à gestão tucana. Os dois têm trocado farpas diante da investigação da operação Porto Seguro.

"Muito mais do que no passado, os erros vêm a tona. Aquilo que era colocado embaixo do tapete ou morria numa gaveta de uma procuradoria, agora não morre mais", alfinetou Carvalho. Para o ministro, agora a "corrupção velha" está aparecendo.

"O governo dele não foi isso que ele está dizendo que foi." "Eu tenho respeito por ele, pela historia dele, [mas] não posso ter respeito pelos erros que foram cometidos no governo dele", completou.

Nenhum comentário: