27/01/2012

Veja onde estão os “mortos” do Pinheirinho, que estão vivos. Ou: Canalha esquerdopata institui a “prova negativa”, coisa típica das tiranias que eles admiram


Share/Bookmark
Se você tem adversários pessoais ou políticos e quer acusá-los de assassinato e ocultação de cadáver, pode fazer a lista de nomes e mandar para o Portal Terra. Eles lá publicam a acusação mesmo sem haver a menor evidência. Quer dizer, não sei… Só se for coisa contra os petistas, acho que não… Publico em vermelho trechos de uma reportagem desse Portal. Volto em seguida:
*
As ONGs Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência e Justiça Global divulgaram na tarde desta quinta-feira os nomes de cinco pessoas supostamente desaparecidas durante a reintegração de posse no bairro Pinheirinho, em São José dos Campos, interior de São Paulo. De acordo com as organizações, um menino de 8 anos, um idoso e uma família de três pessoas teriam desaparecido. O comandante da Polícia Militar no Estado afirmou considerar “muito difícil” o sumiço de pessoas na ação.
(…)
O menino desaparecido seria Matheus da Silva, que de acordo com o relato de moradores entrou em estado de choque quando a PM invadiu a área. Sua família relatou que policiais teriam levado o menor para atendimento médico e, desde então, não se saberia mais notícias do garoto. Pedro Ivo Teles dos Santos, 75 anos, teria sido espancado pela PM e levado para um posto de saúde. Quem relatou foi a ex-mulher de Pedro Ivo, que desde então não tem qualquer informação sobre ele.
A família que teria desaparecido seria composta por Gilmara Costa do Espírito Santo, seu marido identificado apenas como “Beto” e o filho, Lucas. O advogado dos despejados diz que a busca vai abranger um raio de 100 km da ação policial. “Vamos solicitar registros de ocorrências em todas as cidades num raio de 100 km de distância de São José dos Campos. Se essas pessoas não aparecerem num prazo de 48 horas, vamos exigir que as autoridades sejam responsabilizadas”, disse Aristeu Pinto Neto.
Volto com a verdade
1) O Menino Matheus da Silva - Está internado no Hospital Municipal de São José dos Campos. Teve uma crise de apendicite e foi operado no dia 26 de janeiro.

2) Gilmara Costa do Espírito Santos, marido e filho - 
A família está hospedada, sã e salva, em casa de parentes, no bairro Satélite.
3) Pedro Ivo Teles dos Santos - Ainda não foi localizado, mas a Prefeitura e Polícia têm em mãos uma entrevista concedida por ele ao jornal “O Vale” depois da desocupação do Pinheirinho. Como morto não fala… O texto está aqui.NESSE CASO, FAÇO UM ALERTA À SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA!
Um dia antes da operação do Pinheirinho, Pedro Ivo fez um BO acusando a perda de documentos. Como os facinorosos estão doidos para arranjar um cadáver e como a tramóia foi desmoralizada, nada impede que dêem o jeito de arrumar um suposto “Pedro Ivo” morto.
De novo, AristeuVejam lá o último nome em destaque no texto do Terra. É o tal Aristeu, o advogado do Movimento dos Sem Teto que denunciou as mortes à Agência Brasil, o que rendeu reportagem. Como se vê, ele não muda de tática. Viram? Se as pessoas não aparecessem em 48 horas, ele anunciava: “Vamos exigir que as autoridades sejam responsabilizadas”.
Nas democracias, só existem “provas positivas”, nunca “provas negativas”, o que é típico das tiranias. Se eu digo que o Fulano é ladrão, tenho de exibir a prova positiva de que é ladrão. Ele, obviamente, não pode ser obrigado a provar que não é.
A tanto os meliantes morais obrigaram a Prefeitura de São José dos Campos e a Polícia: a provar que NÃO FIZERAM. Por esse método, vejam que espetáculo, eles podem apresentar uma lista infinda de nomes, e as autoridades que corram atrás. Atenção! SE UMA PESSOA NÃO APARECER PORQUE VIAJOU OU SEI LÁ O QUÊ, ENTÃO ELES CHAMARÃO ISSO DE PROVA!!! Vale dizer: a prova de que existe um morto é não existir o morto.
Diz a minha fonte em São José que duas outras pessoas também dadas como “mortas” — não estão na lista do Terra — foram igualmente encontradas. Não se esqueçam: isso começou quando a Agência Brasil, do governo federal e sustentada por todos os brasileiros (de todos os estados, de todos os partidos, além dos sem-partido), conferiu credibilidade a mentirosos delirantes.
Mais uma vez, evidencia-se uma tese antiga deste escriba: um esquerdista, mesmo diante da prova de culpa, será sempre inocente; um não-esquerdista, mesmo se inocente, terá de provar que não é culpado. Essa é a democracia deles!
Por Reinaldo Azevedo

Nenhum comentário: