27/01/2012

Vale recebe o nada honroso ‘Oscar da Vergonha’ com 25 mil votos


Share/Bookmark


Carregamento de minério de ferro em uma das minas de Carajás
Foto: Marco Antônio Teixeira/28-11-2003

Carregamento de minério de ferro em uma das minas de CarajásMARCO ANTÔNIO TEIXEIRA/28-11-2003

RIO - Mais de 88 mil pessoas participaram da votação, promovida pelo site Public Eye People's e patrocinada pelo Greenpeace, para eleger a pior empresa do ano. E os eleitores decidiram entregar o “Oscar da Vergonha” para a Vale. O resultado final foi divulgado em Davos, onde está sendo realizado o Fórum Econômico Mundial, entre os dias 25 e 29 de janeiro.

A companhia é a primeira brasileira a concorrer ao pleito, realizado a partir de 2000. Desde segunda-feira na liderança, ela foi defenestrada por 25.042 eleitores - 797 a mais que a japonesa Tepco, que opera as usinas nucleares de Fukushima. Também participaram do concurso a sul-coreana de eletrônicos Samsung (19.014 votos), o grupo bancário Barclays (11.107), a suíça de agronegócio Syngenta (6.052) e a mineradora americana Freeport (3.308).

O ranking, assim como o perfil das competidoras, está disponível no site http://www.publiceye.ch/en/ranking/.

A Vale é citada como uma empresa “com longa trajetória caracterizada por condições de trabalho desumanas, violações de direitos humanos e destruição do meio ambiente” em diversas partes do mundo. A empresa é lembrada por participar do consórcio responsável pela construção da usina de Belo Monte. Para os ambientalistas , trata-se de um "empreendimento de US$ 17 bilhões planejado de forma autoritária, sem ouvir a população afetada e em desacordo com os direitos humanos e as leis ambientais”.

A Vale publicou um esclarecimento na internet no qual afirma que “a atividade mineradora gera impactos e, por isso, atua de forma a controlá-los e reduzi-los. Por essa razão, em 2011, a Vale foi considerada a melhor mineradora em gestão de mudanças climáticas, liderando o ranking do Carbon Disclosure Project (CDP) pelo segundo ano consecutivo”.

A empresa informa que prevê investimentos de US$ 1,65 bilhão em ações socioambientais em 2012, e que integra, “também pelo segundo ano consecutivo, o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), reflexo do compromisso da Vale com as comunidades em que atua. A Reserva Natural Vale, em Linhares (ES), é considerada pela Unesco Reserva da Biosfera por conservar uma das últimas áreas de Mata Atlântica no Sudeste do Brasil”. A íntegra do comunicado da empresa pode ser visto na página http://valeesclarece.com/.

O GLOBO
 

Nenhum comentário: