22/10/2011

Militar assume responsabilidade pela morte de Kadafi


Share/Bookmark
Em entrevista à BBC, comandante diz que ex-líder líbio foi atacado por combatentes; corpo será entregue à família

O comandante das forças do governo interino da Líbia que capturou Muamar Kadafi assumiu a responsabilidade pela morte do ex-líder na última quinta-feira, 20. Em entrevista exclusiva à BBC, Omran el Oweib disse que o coronel foi arrastado para fora do cano de drenagem onde ele foi encontrado, deu cerca de dez passos e caiu no chão ao ser atacado por um grupo de combatentes furiosos.

El Oweib afirmou que era impossível dizer quem deu o tiro fatal no ex-líder líbio. O comandante disse ainda que tentou salvar a vida de Kadafi, mas que ele morreu na ambulância a caminho do hospital, nos arredores de Sirte.
Imagens de vídeo feito por rebeldes mostra arma apontada para Kadafi - Reprodução/Reuters
Reprodução/Reuters
Imagens de vídeo feito por rebeldes mostra arma apontada para Kadafi
O porta-voz de relações exteriores do Conselho Nacional de Transição (CNT), Ahmed Gebreels, disse à BBC que já chegou ao fim a autópsia no corpo de Kadafi, marcada para este sábado, 22. Segundo ele, o corpo do coronel será entregue a seus familiares ainda esta noite ou no domingo, 23.
Ataque de combatentes. O comandante Omran el Oweib, um engenheiro eletricista que se tornou revolucionário, disse que alguns de seus subordinados queriam matar o coronel Kadafi no momento de sua captura, mas ele pediu que não o fizessem. "Eu tentei salvar a vida dele, mas não consegui. Não consegui fazer nada por dele. Mesmo que ele fosse meu inimigo, eu queria levá-lo vivo para Misrata, para julgá-lo."
Ele afirmou ainda que Kadafi já estava ferido quando foi retirado do cano onde se escondia, mas que conseguiu dar alguns passos antes de cair no chão e ser rodeado por combatentes. O próprio El Oweib o teria colocado em uma ambulância em direção ao hospital mais próximo.
"Nós tentamos entrar no hospital, mas estava muito cheio de pessoas feridas. Eu decidi continuar em direção ao helicóptero do hospital, mas o médico me disse que Khadafi já tinha morrido", disse o comandante. "Kadafi morreu na linha de frente. Eu sou responsável por isso, eu sou o comandante."
Corpos. Filas com centenas de pessoas se formaram em Misrata, no norte do país, para ver os corpos de Kadafi e seu filho, Mutassim, que estavam sendo mantidos em um contêiner refrigerado durante os últimos dois dias, e já começavam a se decompor.
O funeral vem sendo adiado, contrariando a tradição muçulmana, aparentemente devido a desentendimentos entre as diversas facções que derrubaram o regime sobre o que fazer com o corpo.
O correspondente da BBC em Misrata, Gabriel Gatehouse, que visitou o contêiner, disse que Kadafi tinha diversos ferimentos no corpo e, aparentemente, na cabeça.
De acordo com ele, o corpo é facilmente reconhecível como sendo o de Kadafi. Na fila, pessoas dizem "Deus é grande" e cobrem o rosto para se proteger contra o mau cheiro dos corpos.
Mais cedo, a família do coronel pediu que os corpos fossem liberados o mais rapidamente possível e, assim como a ONU, defendeu uma investigação completa sobre as circunstâncias da morte do ex-líder líbio.
Autoridades do governo interino haviam dito que pretendiam realizar uma cerimônia fúnebre secreta, mas o funeral que, segundo a tradição islâmica, tem de ocorrer o mais rápido possível, foi adiado em meio a incertezas sobre o que fazer com o corpo e sobre onde enterrá-lo.
O governo americano pediu que o Conselho Nacional de Transição (CNT) explique os acontecimentos de quinta-feira de "forma aberta e transparente", enquanto a Rússia disse que a forma como o ex-líder morreu "levanta uma série de questões".
'Libertação nacional'. O CNT anunciou que realizará uma cerimônia para declarar a libertação formal da Líbia neste domingo.
As primeiras eleições devem acontecer até junho de 2012, segundo o premiê interino Mahmoud Jibril, que participa de um encontro do Fórum Econômica Mundial, na Jordânia.
"O Congresso Nacional da Líbia tem duas funções: a primeira é preparar uma constituição que será submetida a um referendo e a segunda, formar um governo interino que deverá durar até que as primeiras eleições presidenciais sejam realizadas."
Ao mesmo tempo, a Otan - que age na Líbia com anuência de um mandado da ONU - se prepara para concluir suas operações militares no país norte-africano.
O secretário-geral da aliança, Anders Fogh Rasmussen, disse que em princípio a ofensiva será mantida até 31 de outubro, e que a Otan vai garantir que "não haja ataques contra civis durante o período de transição".
BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.



De Zurique, secretário da Fifa 'demite' Orlando Silva


Share/Bookmark

AE - Agência Estado
Em uma entrevista coletiva transmitida ao vivo para todo o mundo, o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, deixou claro ontem que já não identifica no ministro dos Esportes, Orlando Silva, o interlocutor para a preparação da Copa do Mundo de 2014. Valcke respondeu a uma pergunta feita pelo jornal O Estado de S. Paulo já afastando Orlando de qualquer participação na Copa.
"Em novembro, a ideia é encontrar o novo representante do governo de Dilma Rousseff, que agora está liderando os trabalhos de preparação da Copa no nível governamental", disse Valcke, na esperança de que até lá o Palácio do Planalto tenha designado a pessoa que fará o contato com a Fifa. "Estou certo de que a presidente (Dilma) tomou a decisão certa em escolher uma pessoa, seja o que ocorrer com Orlando Silva", disse.
Inimigo
O ministro se transformou em um desafeto de Valcke e do presidente da Fifa, Joseph Blatter. Ambos o acusam de ter mudado a Lei Geral da Copa que foi enviada ao Congresso, sem consultar a entidade, que por meses negociou o texto com advogados

A cara do petista, o e-mail do petista, o apartamento do petista. O dinheiro é seu!


Share/Bookmark

No post abaixo, informa-se que a VEJA desta semana traz reportagem sobre o formidável enriquecimento do deputado João Bacelar, que fez fortuna apresentando emendas ao Orçamento para obras realizadas por uma empresa sua. Quem cuidava da liberação de verbas era o petista Marcos Lima, funcionário do Palácio do Planalto. Em troca, Bacelar lhe deu um apartamento. Agora vejam estas duas imagens.
O petista Marcos Lima repassa para o deputado João Bacelar e-mail em que o dono do apartamento cobra o pagamento da prestação; ao lado, a prova da quitação da parcela. A moeda da transação é uma só: dinheiro público
O petista Marcos Lima (acima) repassa para o deputado João Bacelar e-mail em que o dono do apartamento cobra o pagamento da prestação; ao lado, a prova da quitação da parcela. A moeda da transação é uma só: dinheiro público
Acima, o prédio onde está o apartamento do petista João Lima, um presente de João Bacelar
Acima, o prédio, num bairro nobre de Salvador, onde fica o apartamento do petista João Lima, um presente de João Bacelar
Por Reinaldo Azevedo

Orlando Silva – A FITA NA VEJA DESTA SEMANA: “Nós vamos apurar que merda é essa; a coisa saiu do controle”


Share/Bookmark

Faz tempo que o Ministério do Esporte é um caso de Polícia… Federal!! Os próprios órgãos de fiscalização e controle do governo mais ou menos infensos aos esquemas organizados para roubar dinheiro público cobram a devolução de mais de R$ 40 milhões repassados a ONGs que não fizeram o trabalho para a qual foram contratadas. Boa parte delas tem algo em comum: são tocadas por pessoas ligadas ao PCdoB, partido do ministro Orlando Silva, que lotou a pasta de militantes da legenda, muitos deles ex-diretores da UNE, como ele próprio. É o comunismo de resultado… para os coministas.
Sucessivos escândalos deveriam bastar para que Silva ganhasse o olho da rua. Por muito menos, outros ministros, sem o pedigree esquerdista, foram demitidos. Na semana passada, VEJA trouxe o depoimento do PM João Dias Ferreira, dono de duas ONGs e íntimo da camarilha que comanda o Esporte desde os tempos de Agnelo Queiroz, antecessor de Silva e atual governador do Distrito Federal, um ex-comunista do Brasil que migrou para o PT. A denúncia caiu como uma bomba: segundo o policial, o chefe do esquema de desvios de recursos — cuja existência está mais do que provada — é o próprio ministro. Mais: ele teria recebido, pessoalmente, uma remessa de dinheiro na garagem do ministério.
Bem, vocês conhecem a história. Silva ficou indignado e passou a exigir “as provas” — UM COMPORTAMENTO INAUGURADO POR JOSÉ DIRCEU NA ÉPOCA DO MENSALÃO. Explico mais adiante o que quero dizer com isso. Bem, não será por falta de provas que o ministro manterá o seu emprego. Se ficar no cargo, será APESAR DELAS. VEJA, mais uma vez, cumpre o seu papel, Queriam provas? Vamos lá.
Na edição passada, a revista revelou que, no começo de 2008, o comando da PM do Distrito Federal abriu um processo por desvio de conduta contra conta João Dias. Em ofício ao Ministério do Esporte, quis saber o que havia contra um de seus homens. A resposta não foi boa: informou-se que ele devia, então, R$ 3 milhões para a pasta. O policial ficou furioso e foi tirar satisfações. Deu resultado. O ministério enviou novo informe à PM, retificando o anterior e limpando a sua barra. POIS BEM! VEJA TEVE ACESSO A GRAVAÇÕES FEITAS PELO PRÓPRIO POLICIAL. Uma reunião de abril de 2008 impressiona pela desfaçatez, pelo cinismo e pela sem-cerimônia com que essa gente trata o dinheiro púbico.
Dois assessores diretos do ministro — Fábio Hansen (então chefe de gabinete da Secretaria de esporte educacional, que cuida do programa Segundo tempo) e Charles Rocha, então chefe de gabinete da secretaria executiva do ministério —dão a João Dias dicas de como fraudar o próprio ministério. Não só isso: fala-se abertamente de desvio de recursos e de como um militante do PCdoB embolsou R$ 800 mil. Todos riem. Leiam um trecho da reportagem de Rodrigo Rangel:
*
(…)
João Dias estava preocupado com um documento encaminhado à Polícia Militar pelo ministério que o responsabilizava por irregularidades na execução do programa.
 Aquilo poderia custar-lhe o emprego. Os diálogos deixam claro que havia consenso entre as partes e que eles estavam ali para arrumar um jeito de salvar a pele do policial. “Eu só posso dizer a você duas coisas: primeiro, nós vamos apurar que m… é essa. A coisa fugiu do controle, e, por isso, estamos abrindo uma outra frente. Isso é um absurdo, está errado. Antes de mais nada, tá errado (…) Como é que você tá sendo cobrado em 3 milhões?”, diz Fábio Hansen na gravação.
João dias reclama da suposta traição e ameaça: “Nego tá querendo colocar a mão no ministro…”. “Porque, se eu quisesse me livrar, pegar os caras certos, nós pegaríamos”, diz o policial. A reunião avançou noite adentro e teve momentos de tensão. “O que nós estamos tentando aqui é tentar remediar a m… que foi feita”, diz Fábio Hansen.
O “remédio” para o problema ele detalha em outro trecho da reunião. “A gente pode mandar lá um ofício desconsiderando o que a gente mandou”,sugere Charles Rocha. Hansen completa: “Você faz três linhas pedindo prorrogação de prazo”. Depois recomenda que se processe uma fraude, apresentando um pedido de prazo “com data anterior à notificação”. “Imediatamente a gente faz isso, passa por fax, para o mesmo que foi encaminhado o outro, e a gente manda um portador entregar (…) na mesma hora“, diz Hansen. O roteiro combinado foi seguido à risca. Dois dias depois, o ministério enviou à PM um documento pedindo que o anterior fosse desconsiderado. Detalhe: o convênio cujo prazo para prestação de contas estava sendo prorrogado nessa artimanha havia vencido dois anos antes.
(…)
VolteiVocês estão lúcidos; leram isto mesmo: os então homens fortes de Orlando Silva se organizavam para fraudar as regras do ministério e proteger o malfeito. Na conversa, surge o nome de outro figurão no imbróglio: AGNELO QUEIROZ.
Depois de comentarem às gargalhadas que Fredo Ebling, dirigente do PCdoB encarregado de arrecadar propinas entre as ONGs teria ficado com R$ 800 mil, Hansen comenta: “Nós conversamos com Agnelo hoje. O Agnelo estava indignado. O Agnelo nos chamou de moleques hoje. (…) O Agnelo ficou p., ficou indignado. Falou: ‘Vocês não sabem o estado em que está o João’”.
Leiam a reportagem na edição impressa da revista, que traz um alentado material sobre o custo da corrupção para o Brasil — ou, mais especificamente, para os brasileiros que trabalham honestamente.
Cultura José DirceuIsso que vemos é só parte da safadeza. Orlando Silva está jogando para enrolar a platéia. Quando fica, com o seu samba de uma nota só, indagando onde está a prova, pergunta, no fundo, se existe algum recibo assinado por ele. Suponho que não! As provas, senhor ministro, são o conjunto de evidências — INQUESTIONÁVEIS — de que o senhor comanda uma máquina corrupta, organizada para assaltar os cofres públicos. As provas, senhor ministro, são os seus homens fortes ensinando como fraudar os mecanismos de vigilância do próprio ministério. As provas, senhor ministro, estão no arranjo feito para beneficiar um dos operadores do esquema que é agora chamado de “bandido”, mas um bandido muito íntimo — inclusive do seu antecessor!
Ontem, a Secretaria de Comunicação da Presidência emitiu uma nota em que se atribui à presidente Dilma a seguinte fala: Não lutamos inutilmente para acabar com o arbítrio e não vamos aceitar que alguém seja condenado sumariamente”.
Todos têm direito à defesa, senhora presidente! A Constituição e os códigos pertinentes estão aí para cuidar desses assuntos. Aqui se cuida é de política. Uma das graves acusações feitas por João Dias Ferreira está devidamente comprovada. Ameaçada, a cúpula do Ministério do Esporte mudou um relatório para beneficiar alguém que estava sendo acusado de fraude.
O bordão “Cadê a prova?”, fazendo de conta que política é arena criminal, é uma prática introduzida na vida pública por José Dirceu. A tramóia com dinheiro ilegal existia; ele era o chefão das personagens diretamente envolvidas com o mensalão; era quem fazia a coordenação política do governo; o escândalo ficou mais do que evidenciado em centenas de saques em dinheiro vivo feitos na boca do caixa; há a impressionante confissão de Duda Mendonça… No entanto, Dirceu grita até hoje: “Cadê a prova?”, como se uma tramóia política costumasse deixar atos de ofício.
Na conversa do policial com os dois assessores diretos de Orlando Silva, fica claro que o ministro está na linha de tiro caso não façam aquilo que ele quer. E os dois fazem. Visivelmente, estão com medo do interlocutor. Silva faria um bem ao país, à Copa do Mundo e até a si mesmo se reconhecesse que não dá mais. É um pato manco.
E algo me diz que isso é só o começo. Há gente no entorno de Dilma que acredita que o Ministério do Esporte tem de sair do radar do noticiário porque a chance de engolfar Agnelo Queiroz, e o PT, é gigantesca. Já se usa até uma metáfora: “Ele pode ser o [José Roberto] Arruda do PT”. Está sentado, aliás, na mesma cadeira. E só está porque o outro quebrou a cara. Mas trato disso no próximo post. A situação está ruim para a turma. E pode piorar.
Por Reinaldo Azevedo

Pastor afirma que Esporte cobrou 10% para PC do B


Share/Bookmark

Hoje na FolhaO fundador de uma igreja que recebeu R$ 1,2 milhão do Ministério do Esporte diz que foi pressionado a repassar 10% do dinheiro para os cofres do PC do B, o partido que controla o ministério, informa reportagem de Andreza Matais e Felipe Coutinho, publicada na Folha desta sábado (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL (empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

"Veio um monte de urubu comer o filezinho do projeto", disse à Folha o pastor evangélico David Castro, 56, que dirige a Igreja Batista Gera Vida, de Brasília.

Em nota, Dilma afirma que 'não condena ninguém sem provas'
Após reunião com Dilma, Orlando Silva diz que fica no cargo
Procuradoria pede ao STF inquérito para investigar Orlando e Agnelo
Fifa afasta ministro do Esporte de próxima reunião no Brasil

Ele diz que se recusou a pagar a propina.

Filiado ao PP, Castro afirmou que sofreu retaliação por não ter pago a propina exigida. "Na hora da prestação de contas [do convênio], houve dificuldade porque evidentemente não houve propina."

O Esporte afirmou ser mentira que o projeto do pastor foi reprovado por que não houve pagamento de propina. "A prestação de contas não foi aprovada porque o convenente não cumpriu os requisitos legais."

21/10/2011

Últimos momentos de Gaddafi


Share/Bookmark

Documentos mostram que mulher de Orlando recebeu dinheiro do governo por meio de ONG do PC do B


Share/Bookmark
A informação teria preocupado a presidente Dilma Rousseff, que está reunida com o ministro; ele poderá deixar o Planalto na condição de ex-ministro do Esporte

Marta Salomon/BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo
Documentos obtidos pelo Estado mostram que Anna Cristina Lemos Petta, mulher do ministro do Esporte, Orlando Silva, recebeu dinheiro da União por meio de uma ONG comandada por filiados ao PC do B, partido do marido e ministro. A informação sobre negócios da União com a empresa de familiar de Orlando Silva teria preocupado a presidente Dilma Rousseff, que está reunido com o ministro. Ele poderá deixar o Palácio do Planalto na condição de ex-ministro do Esporte.
É a própria Anna Petta quem assina o contrato entre a Hermana e a ONG Via BR, que recebeu R$ 278,9 mil em novembro do ano passado. A Hermana é uma empresa de produção cultural criada pela mulher do ministro e sua irmã, Helena. Prestou serviços de assistente de pesquisa para documentário sobre a Comissão da Anistia.
A empresa foi criada menos de 7 meses antes da assinatura do contrato com a entidade. Pelo trabalho, recebeu R$ 43,5 mil.
A ONG Via Brasil tem em seus quadros Adecir Mendes Fonseca e Delman Barreto da Silva, ambos filiados ao PC do B. A entidade também foi contratada em maio do ano passado pelo Ministério do Esporte, para promover a participação social na 3ª Conferência Nacional do Esporte. No negócio, recebeu mais R$ 272 mil.
Documentos obtidos pelo Estado mostram o curto espaço de tempo transcorrido entre a criação da empresa de Anna Peta e a celebração de convênio da ONG Via BR com o Ministério da Justiça. A Hermana foi criada apenas três meses antes da assinatura do convênio para a produção de documentário sobre a Comissão da Anistia e no mesmo mês em que a Via BR foi contratada pelo Ministério do Esporte.


20/10/2011

Na TV, PCdoB e ministro se dizem vítimas de calúnias


Share/Bookmark

Foi ao ar há pouco, em rede nacional, a propaganda semestral do PCdoB. Aproveitou o espaço para se das suspeitas que rondam o Ministério dos Esportes.

A peça foi encerrada com uma aparição do ministro Orlando Silva. Atribuiu as acusações ao incômodo de “muita gente” com o revelo da pasta que dirige.

Disse que, “quando o PCdoB assumiu o ministério dos Esportes no governo Lula, o ministério não tinha a visibilidade nem a importância de hoje.”

Jactou-se: “Com muito trabalho, trouxemos a Copa e as Olimpíadas para o Brasil.” Como se os dois eventos fossem conquistas dele e do partido.

O ministro não disse palavra sobre o programa ‘Segundo Tempo’, foco das denúncias que o assediam.

Prosseguiu: “É claro que a importância que o Ministério dos Esportes conquistou através do trabalho do PCdoB incomoda muita gente”.

E entrou no miolo da encrenca: “Nos últimos dias, nosso partido foi atacado com denúncias mentirosas que partiram de um sujeito procurado pela Justiça.”

Absteve-se de mencionar que o sujeito, o PM João Dias, foi militante do PCdoB. Concorreu a deputado distrital, em Brasília, como representante da legenda.

Referiu-se às acusações como “uma tentativa atrapalhada de atingir” o PCdoB e ele próprio.

Fez pose: “Procurei imediatamente a Justiça. E já prestei o meu depoimento para ajudar a esclarecer todos os fatos.”

Quem assistiu ficou com a impressão de que o ministro já foi ouvido pelo Judiciário. Tolice. O inquérito contra ele ainda está por vir.

Será movido pelo procurador-geral da República Roberto Gurgel, que já anunciou a decisão de requerer ao STF a abertura da investigação.

Por ora, Orlando Silva manifestou-se apenas em dois foros políticos, comissões da Câmara e do Senado. Não foram inquirições, mas sessões de elogios e louvações.

“Vou até as últimas consequências para defender a minha honra e os 90 anos de história de um partido que nunca se envolveu em escândalo”, disse o ministro.

O que Orlando Silva esqueceu de mencionar é que o PCdoB e seus quadros só chegaram às cercanias dos cofres na gestão Lula.

Foi a partir daí, informam os relatórios do TCU e da CGU, que proliferaram os malfeitos nos convênios do ‘Segundo Tempo’, programa criado em 2003.

Entre os beneficiários das verbas estão, a propósito, um sem número de ONGs ligadas ao PCdoB. Entre elas as duas entidades do ‘pecedobê’ João Dias.

Alheio às indicações sobre o debate que corre no Planalto sobre a conveniência de substituí-lo, Orlando Silva falou como ministro longevo:

“Vamos seguir trabalhando porque a Copa está aí e o desenvolvimento do país não pode parar.”

Além da Copa, que, por ora, inspira dúvidas apenas quanto aos prazos das obras, também estão aí o ‘Segundo Tempo’ e suas irregularidades.

Sobre isso, de novo, nenhuma palavra do ministro.

Antes de Orlando Silva, soou no programa do PCdoB o presidente da legenda, Renato Rabelo. A certa altura, disse:

“Nunca nos intimidamos diante de qualquer luta. Já enfrentamos ditaduras, delatores e provocadores. Sempre resistimos!”

Curiosamente, o delator que se insurge contra o PCdoB é um policial militar que a legenda admitiu como candidato.

Um sujeito que, depois de beliscar R$ 3,1 milhões das arcas geridas pelo PCdoB no Ministério dos Esportes, converteu-se em escândalo.

Quer dizer: o PCdoB pariu Mateus e agora se recusa a embalá-lo. O partido, seu ministro e seus dirigentes fingem que não é com eles


A captura e morte de Muamar Kadafi


Share/Bookmark

000_Nic60160616x1.jpg
SIRTE – O Conselho Nacional de Transição (CNT), governo de facto da Líbia, confirmou na manhã desta quinta-feira, 20, a captura e, posteriormente, a morte do ditador Muamar Kadafi, cujo paradeiro era desconhecido desde que a capital, Trípoli, foi tomada, no final de agosto. Acompanhe a seguir as últimas informações a respeito da morte de Kadafi.
21h33 – Segundo o jornalista José Roberto de Toledo, do Estado, a fotógrafa Holly Pickett, não só viu o corpo de Kadafi como confirma a autenticidade dos vídeos dele vivo andando.
21h21 – Hugo Chávez, presidente da Venezuela, foi um dos poucos líderes mundiais que se colocaram ao lado de Chávez ante a revolução. O líder se disse decepcionado pela morte do colega – “um mártir e lutador” – dizendo que isso é um ultraje e que ele foi assassinado.
21h – O repórter do Estado Lourival Sant’anna fala sobre a morte de Kadafi e a importância deste acontecimento para o povo líbio. O jornalista esteve na Líbia durante a ofensiva dos rebeldes a Trípoli.
20h05 – A CNN revelou há pouco novos detalhes sobre a morte de Kadafi. Segundo a rede de TV, o ditador morreu por conta dos tiros que levou na cabeça, mas tinha ainda 5 marcas de tiros nas costas e dois no pescoço.
19h19 – Veja a seguir como a imprensa internacional repercutiu à morte de Muamar Kadafi nesta quinta. Confira também a primeira página de amanhã dos principais jornais internacionais:
International Herald Tribune: “O fim brutal de Kadafi”; Daily Telegraph: “Sem misericórdia para um tirano sem misericórdia”; Berliner Morgenpost: “Morte de um tirano”; The Sun: “Isso é por Lockerbie”;Daily Mirror: “‘Não atire! Não atire!’”; El Periódico: “Kadafi, liquidado”.
19h15 – Se você passou a nos acompanhar agora, as principais notícias relacionadas à Líbia nesta quinta são:
  • - O ditador Muamar Kadafi foi capturado e morto em Sirte, sua cidade natal e último reduto
  • - Kadafi foi encontrado em um buraco, segundo os rebeldes (veja foto abaixo)
  • - O corpo de um dos filhos do ditador, Mutassim, também foi encontrado em Sirte
  • - Líbios seguem comemorando com euforia a morte de Kadafi, em Trípoli, Misrata e outras cidades
  • - O ministro da Informação e porta-voz de Kadafi, Moussa Ibrahim, também foi capturado
  • - Lideranças internacionais reagiram à morte de Kadafi, dizendo que a Líbia entra “em uma nova fase”
  • - Um vídeo divulgado no YouTube mostra Kadafi ainda vivo e cambaleando ao ser capturado
1ebc9735c0ae420dbc181db380ac3575_1ebc9735c0ae420dbc181db380ac3575_0.jpg
O local da captura de Kadafi, em Sirte; nas paredes, palavras como ‘rato’ pichadas por opositores
19h13 – À CNN, o embaixador líbio nos Estados Unidos, Ali Aujali, disse que Kadafi foi encontrado em um “buraco”, não resistiu e foi morto mais tarde em uma troca de tiros.
19h09 – O premiê interino da Líbia, Mahmoud Jibril, disse à Reuters que Kadafi morreu por conta dos ferimentos provocados por tiros contra a cabeça. Ele detalhou informações do relatório da perícia, feito após a chegada do corpo a Misrata. Segundo Jibril, Kadafi “não demonstrou resistência”.
19h – Seguem em Trípoli, capital líbia, as celebrações pela morte de Kadafi – que já ocorreram em outras cidades ao longo do dia. Na foto abaixo, líbios se reúnem na Praça dos Mártires – antiga Praça Verde, renomeada depois da queda da capital, no final de agosto.
2011_10_20T203844Z_01_SJS16_RTRMDNP_3_LIBYA.JPG
18h55 – Em um comunicado em Bruxelas, o secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen fez um apelo para que “todos os líbios” coloquem de lado suas diferenças e “trabalhem juntos para construir um futuro melhor”. Segundo Rasmussen, a Otan vai coordenar o fim da missão militar com a ONU e as autoridades de transição da Líbia.
18h43 – O enviado do jornal O Estado de S. Paulo e do estadão.com.br à Faixa de Gaza, Roberto Simon, comentou há pouco que “a festa em Gaza ainda é a dos presos soltos por Israel“. Segundo ele, a morte de Kadafi foi comemorada, mas “sem muito fuzuê”.
18h34 – Segundo o ministro de Informação do CNT, Mahmoud Shammam, Kadafi “foi morto em um ataque dos combatentes”. De acordo com Shammam, “há filmagem disso”. O CLT é o governo de facto da Líbia.
18h30 - A AFP divulgou novas imagens de Kadafi e de um dos filhos dele, Mutassim, mortos. Nas fotos, algumas pessoas aparecem fotografando o corpo do ditador com celulares. O corpo de Mutassim aparece com ferimentos. Veja abaixo.
18h19 - De acordo com o médico que teria acompanhado o transporte do corpo de Kadafi de Sirte, onde foi capturado, a Misrata, o ditador foi morto com dois tiros no peito. A CNN, contudo, afirma que Kadafi morreu com tiros na cabeça.
17h56 – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, finalmente se pronunciou sobre a morte de Kadafi. De acordo com o líder americano, o fato encerra capítulo longo e doloroso na Líbia. Na foto abaixo, Obama fala à imprensa em Washington.
892331.jpg
17h37 – A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse em entrevista à BBC que o governo dos Estados Unidos não pode confirmar a captura ou a morte de Kadafi. O motivo provavelmente se deve ao fato de que nenhum oficial ligado a Washington obteve acesso ao corpo do ditador para comprovar sua morte. As informações são provenientes apenas dos rebeldes líbios, mas eles já anunciaram diversas vezes a morte de alguns dos filhos do coronel que apareceram vivos dias depois.
17h22 – Em seu Twitter, o enviado especial do Estado à Líbia, Andrei Netto, escreve: “Ok, suspeito que o hotel em que estou fazia a comida da prisão em que estive em Trípoli. Não pode ser pior”. O repórter faz alusão ao período em que ficou preso no país africano, na primeira vez em que viajou para cobrir a revolução contra Kadafi, em março.
16h55 – Ouça abaixo, pela TV Estadão, a confirmação da morte de Muamar Kadafi feita pelo enviado especial do jornal O Estado de S. Paulo e do estadão.com.br à Líbia, Andrei Netto. Netto está em Trípoli.
16h48 – O que é pior? Morrer como Kadafi, estar em uma prisão no Egito, como Mubarak, ou viver na Arábia Saudita, como Ben Ali? OPINE pela página da Inter no Facebook.
16h43 – As comemorações de líbios pela morte de Kadafi ocorreram também fora do país, como no Brasil, onde algumas pessoas se reuniram diante da Embaixada em Brasília e destruíram fotos do ditador. Na imagem abaixo, opositores de Kadafi comemoram em Londres, diante da Embaixada líbia na capital britânica.892140.jpg
Também diante da Embaixada em Londres, o embaixador Mahmud Nacua (na foto abaixo) lê um comunicado confirmando a morte de Kadafi, seguindo informações divulgadas pelo vice-presidente do CNT, Abdelhafiz Ghoga, que deu a notícia da captura e morte do ditador em uma coletiva coletiva de imprensa que concedeu em Benghazi.
16h36 – Na imagem abaixo, um jovem líbio identificado pela Efe como Mohamed el-Bibi, de 20 anos, mostra a pistola banhada em ouro que seria a mesma utilizada por Kadafi. A arma teria sido encontrada com o ditador em Sirte, onde foi capturado e, posteriormente, morto pelos opositores.
892110.jpg
16h33 – Novas fotos divulgadas pela Efe mostram Kadafi com menos cabelo e com um tiro na têmpora.
16h28 – Se você passou a nos acompanhar agora, as principais notícias relacionadas à Líbia nesta quinta são:
  • - O ditador Muamar Kadafi foi capturado e morto em Sirte, sua cidade natal e último reduto
  • - Kadafi foi encontrado em um buraco em Sirte, segundo os rebeldes (veja fotos mais abaixo)
  • - O corpo de um dos filhos do ditador, Mutassim, também teria sido encontrado em Sirte
  • - Líbios comemoram com euforia as notícias da morte de Kadafi, em Trípoli, Misrata e outras cidades
  • - O ministro da Informação e porta-voz de Kadafi, Moussa Ibrahim, também foi capturado
  • - Lideranças internacionais reagiram à morte de Kadafi, dizendo que a Líbia entra “em uma nova fase”
  • - Um vídeo divulgado no YouTube mostra Kadafi ainda vivo e cambaleando ao ser capturado
16h22 – O Vaticano reconheceu o Conselho Nacional de Transição como “legítimo representante do povo líbio”, sehundo a Ansa, agência italiana. Em um comunicado oficial, a Santa Sé classificou o regime de Kadafi de “duro e opressivo”. Desde fevereiro, quando começaram os protestos pela renúncia do ditador, o papa Bento XVI vinha fazendo apelos pelo fim do conflito no país.
16h19 – Reveja abaixo imagens de Muamar Kadafi, que era considerado um líder excêntrico por seus hábitos e manias.
16h11 – Uma curiosidade. Com a morte de Kadafi, os presidentes da Angola, José Eduardo dos Santos, e da Guiné Equatorial, Teodoro Nguema, passam a ser os líderes há mais tempo no poder. Os dois estão no cargo desde 1979, um ano antes do zimbabuano Robert Mugabe. Kadafi, por sua vez, estava no poder desde 1969.
O presidente angolano recebe nesta quinta-feira a presidente Dilma, que afirmou em Luanda, mais cedo, que “uma morte não deve ser comemorada“.
16h08 – O que é pior? Morrer como Kadafi, estar em uma prisão no Egito, como Mubarak, ou viver na Arábia Saudita, como Ben Ali? OPINE pela página da Inter no Facebook.
16h05 – Diversos líderes reagiram às notícias sobre a morte de Kadafi e disseram que o fato representa uma ‘nova era’ para a Líbia.
15h50 – Segundo a agência italiana Ansa, o núncio apostólico para a Líbia e Malta, arcebispo Tommaso Caputo, desejou hoje “um futuro de paz, harmonia e desenvolvimento social” para o país. “A morte violenta é sempre um evento dramático e, como tal, merece respeito”, disse ele. Capito é o representante diplomático do Vaticano nos dois países.
“Esperamos que este dia assinale a passagem para um futuro que nos fatos já está em curso. Um futuro de paz, harmonia e desenvolvimento social para um povo, o líbio, que vinha sofrido muito”, expressou o clérigo, de acordo com a Ansa.
15h22 – Um ministro líbio disse, segundo a AP, que Seif al-Islam, filho de Kadafi, estaria ferido em um hospital.
15h18 – Em Luanda, capital angolana, a presidente Dilma Rousseff reagiu às notícias da captura de Kadafi, dizendo que “uma morte não deve ser comemorada“. Para ela, o mundo deve apoiar e incentivar o processo de transição democrática na Líbia.
15h13 – O vídeo abaixo, divulgado no YouTube, mostra Kadafi ainda vivo e cambaleando no momento de sua prisão. Ele está ferido e viria a morrer por conta dos ferimentos mais tarde. Assista.
15h11 – Reveja, abaixo, o lugar onde Kadafi foi encontrado, em Sirte. Nas pichações, em árabe, aparecem a palavra “rato”.
2011_10_20T145019Z_01_LIB20_RTRMDNP_3_LIBYA.JPG
15h07 – As manifestações de euforia pela notícia da morte de Kadafi chegaram a Brasília. Líbios se reuniram diante da Embaixada na capital (imagem abaixo) e destruíram imagens do ditador.
EmbaixadaLIBIA_a007Ed_Ferreira_AE.jpg

14h29 – O que é pior? Morrer como Kadafi, estar em uma prisão no Egito, como Mubarak, ou viver na Arábia Saudita, como o Ben Ali? OPINE pela página da Inter no Facebook.
14h09 – O enviado especial do jornal O Estado de S. Paulo e do estadão.com.br à Líbia, Andrei Netto, descreve a festa nas ruas da capital, onde está neste momento: “Euforia e incredulidade são as melhores palavras para descrever a alegria dos líbios aqui em Trípoli”. Acompanhe Netto no Twitter.
14h08 – Se você passou a nos acompanhar agora, as principais notícias relacionadas à Líbia nesta quinta são:
  • - O ditador Muamar Kadafi foi capturado e morto em Sirte, sua cidade natal e último reduto
  • - Kadafi foi encontrado em um buraco em Sirte, segundo os rebeldes (veja fotos mais abaixo)
  • - O corpo de um dos filhos do ditador, Mutassim, também foi encontrado em Sirte
  • - Líbios comemoram com euforia as notícias da morte de Kadafi, em Trípoli, Misrata e outras cidades
  • - O ministro da Informação e porta-voz de Kadafi, Moussa Ibrahim, também foi capturado
Em um comunicado em Bruxelas, o secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen fez um apelo para que “todos os líbios” coloquem de lado suas diferenças e “trabalhem juntos para construir um futuro melhor”. Segundo Rasmussen, a Otan vai coordenar o fim da missão militar com a ONU e as autoridades de transição da Líbia.