Aécio teve dificuldade de explicar para o guarda e para a namorada daquela noite qual é o papel de seu partido na oposição.
LEBLON – Flagrado com seu partido desgovernado, o senador tucano Aécio Neves foi multado na madrugada de sábado no Rio de Janeiro numa blitz da Lei Seca. “A sigla do senador estava desnorteada, sem documentação, sem programa e sem povão”, afirmou o policial que autuou o político mineiro. “Como PSDB não sabe aonde vai e representa perigo para o eleitor, não tive outra saída senão impedir que o senador continuasse conduzindo o partido em ziguezague madrugada adentro.”
O tucano se recusou ainda a se submeter a um bafômetro de mentiras para avaliar sua capacidade de liderança. “A carreira e o discurso do senador Aécio Neves são bem conhecidos por todos”, justificou a assessoria do político em comunicado à imprensa. “Não havia por que realizar o teste uma vez que o partido se encontrava sem plataforma.”
Ao oferecer um cafezinho ao policial da blitz da Lei Seca para resolver a situação ali mesmo, Aécio Neves ouviu que só poderia ser ajudado se transferisse seu domicílio eleitoral para o Rio de Janeiro.
Aécio Neves foi liberado pelos policiais para seguir viagem depois que um ex-presidente tucano que passava por ali se dispôs a conduzir o partido até as próximas eleições. Antes de levar Aécio em casa, o novo motorista fez escala numa cobertura de frente para o mar em Ipanema para cumprimentar os populares.