23/12/2011

O felicíssimo natal de políticos, juízes e empresários


Share/Bookmark
Categoria: Politicalha
O natal dos poderosos é mesmo farto, gordo, generoso, abundante. Políticos, juízes e empresários campeões em “licitações” nos governos. Todos recebem os seus mimos nesse final de ano, de olho num próspero ano novo, com mais contratos fraudulentos, aumentos de salários e outros petiscos…

Vejam o caso do prefeito Kassab. Eu queria saber quantos (e quais) presentes ele enviou a seus amigos lá da Controlar, a empresa que “faturou todas” em seu governo. Nós, paulistanos, somos uns otários. Pagamos a inspeção veicular em dia e no fim do ano pagamos também os presentes que o prefeito envia aos seus amigos novo-ricos lá da Controlar. Em qualquer cidade normal, Kassab já teria sido escorraçado do poder e indiciado diante de tantos desmandos e irregularidades. Mas como São Paulo é a vanguarda do atraso, em 2012 Kassab cumprirá seu último ano de mandato sem grandes sobressaltos.
_______________________________________________________________________________________

Outros que devem estar muito felizes são Cezar Peluso e Ricardo Lewandowski, pois 2011 foi um ano vitorioso não só para quem antipatiza com investigações de órgãos alheios ao corporativismo do judiciário, mas também para quem se solidariza com o banditismo togado. Peluso e Lewandowski celebraram juntos oenterro da CNJ e ainda conseguiram manter seus passivos trabalhistas (R$ 700 mil e 1 milhão, respectivamente). Então, nesse natal, você que estoure aí a sua Sidra Cereser — porque lá entre os magistrados só vai ter Chandon, uísque 12 anos e vinhos de 500 reais…
_______________________________________________________________________________________

Na esfera federal o problema é outro. Dilma está reclamando com o papai noel porque ela quer para 2012ministros mais competentes e, se possível, menos corruptos. O problema é que se o governo é aliado do PMDB, do PCdoB, do PP etc, não há nada que o papai noel possa fazer, pois ele só presenteia quem se comporta bem durante o ano — e esse não é o caso de quem pratica o peemedebismo
Então é isso aí, gente. Natal é época de renovar (leia-se: capitalizar) as esperanças e de fazer (leia-se: comprar) novos votos!

Nenhum comentário: