25/12/2011

Na Missa do Galo, Papa Bento XVI critica o consumismo


Share/Bookmark

Celebração começou à meia-noite deste domingo. De um altar iluminado, o pontífice pediu menos soberba e mais humildade

Papa Bento XVI celebra missa de Natal, na basílica de São Pedro, no Vaticano - 25/12/2011
Papa Bento XVI celebra a Missa do Galo na basílica de São Pedro, no Vaticano (Max Rossi/Reuters)
Depois da meia-noite deste domingo, dia de Natal, o papa Bento XVI aproveitou a tradicional Missa do Galo, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, para criticar o consumismo. O pontífice recomendou que os homens abandonem o "brilho da sociedade de consumo e a soberba da razão liberal para se deixarem seduzir pela humildade de Jesus, um Deus para todos".
Do altar, Bento XVI afirmou: "O Natal hoje se transformou em uma festa do comércio, cujas luzes brilhantes escondem o mistério da humildade de Deus". E pediu aos católicos do mundo todo que rezem "pelos que passam o Natal na pobreza, na dor, na condição de refugiado, para que apareça diante deles um raio da bondade de Deus".
Com 84 anos, Bento XVI chegou à basílica visivelmente emocionado para celebrar a missa que comemora o nascimento de Jesus, transmitida pela televisão para milhões de pessoas espalhadas por todo o planeta. As luzes da basílica se acenderam somente após a chegada do Papa, simbolizando o anúncio do nascimento de Jesus Cristo.
Bento XVI, que com frequência denuncia o excesso de racionalismo e a falta de esperança, convidou os homens e mulheres a dar exemplos de humildade diante do mistério do Natal: "Se queremos encontrar o Deus que apareceu como menino, precisamos descer do cavalo de nossa razão ilustrada (...) e devemos deixar nossas falsas certezas, nossa soberba intelectual", disse. "Devemos apear, ir espiritualmente a pé para poder entrar pelo portal da fé e encontrar Deus, que é diferente de nossos julgamentos e opiniões", afirmou, ao recordar que Jesus nasceu em uma simples manjedoura.
O pontífice também lembrou aos milhares de fiéis reunidos na basílica a importância de se combater a violência que assola o mundo. "Devemos ser os construtores da paz. Amarmos o Deus menino, sua não violência", disse. "O mundo é constantemente ameaçado pela violência em muitos lugares e de diversas maneiras". Mais cedo, Bento XVI acendeu uma vela pela paz em sua janela, diante de um enorme presépio montado na Praça de São Pedro.
Milhares de fiéis assistiram à inauguração do presépio, ao som de gaitas de foles e cânticos populares italianos e de outros países, incluindo da Baviera, terra natal de Joseph Ratzinger ─ o verdadeiro nome de Bento XVI. Por volta das 18 horas do sábado (15 horas no horário de Brasília), véspera de Natal, o Papa caminhou até a janela de um de seus aposentos e acendeu uma vela, que levantou em direção à multidão fazendo o sinal da cruz, enquanto os músicos tocavam a canção "Tu scendi dalle stelle".
Desde 1982, por determinação do Papa João Paulo II, a cada ano é montado um grande presépio na Praça de São Pedro para o Natal. Neste domingo, os festejos de Natal prosseguem no Vaticano com a benção do Papa e a mensagem "urbi et orbi".
(Com Agência France-Presse)

Nenhum comentário: