10/12/2011

Cliente de Pimentel, Fiemg emplacou nome em ministério


Share/Bookmark

Robson Andrade, hoje no comando da CNI e antes à frente da federação, indicou a titular da Secretaria de Produção

IURI DANTAS / BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo
A Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), principal cliente da empresa de consultoria do ministro Fernando Pimentel, a P-21, emplacou uma indicação política na pasta comandada pelo petista: a secretaria responsável pela definição de benefícios à indústria.
Fontes ouvidas pelo Estado confirmam que o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, convenceu Pimentel a nomear Heloisa Meneses como titular da Secretaria de Desenvolvimento da Produção (SDP). Andrade, Meneses e Pimentel saíram de Belo Horizonte para Brasília.
Andrade comandava a Fiemg quando a entidade patronal pagou R$ 1 milhão à empresa de Pimentel por serviços de consultoria econômica em sustentabilidade. À época, Meneses coordenava o Instituto Euvaldo Lodi, vinculado à Fiemg e à CNI, em Minas Gerais.
Mudando de cidade, o trio continuou em contato permanente. A SDP é o alvo principal de lobistas no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e mantém negociações permanentes com a CNI para discutir mecanismos de estímulo ao setor produtivo.
O presidente da CNI negou, por intermédio de sua assessoria de imprensa, a indicação política. O Ministério do Desenvolvimento não se pronunciou até o fechamento desta edição.
Como presidente da CNI, Andrade elogiou publicamente as medidas do Plano Brasil Maior. As principais medidas do plano preveem a desoneração da folha de pagamentos de alguns setores escolhidos a dedo pelo governo e a devolução para exportadores de 3% do valor das mercadorias vendidas ao exterior.

Nenhum comentário: