25/11/2011

Atriz americana, que é contra Belo Monte, diz que ninguém precisa ser neurocirurgião para defender a floresta! Entenderam?


Share/Bookmark
Ah, meu Jesus Cristinho!
Eu não tinha me dado conta, mas agora vejo. Enviam-me aqui um texto já meio antigo, do dia 14, publicado no Estadão Online, sobre a intervenção da americana Daryl Hannah no SWU. Ela é uma das atrizes que têm o que dizer sobre o Código Florestal brasileiro e, obviamente, sobre Belo Monte.
Agora entendi em quem se inspirou a especialista Letícia Sabatella quando afirmou que hidrelétrica seria energia limpa se fosse no deserto”… Foi em Daryl. Ao Estadão, ela deu uma declaração fabulosa. Leiam:
“Ouvi sobre a proposta de alterar a lei ambiental [brasileira], e é assustadora. Sei que é difícil pensar no longo prazo, mas você não precisa ser um neurocirurgião para perceber que não é esperto cortar as árvores da floresta. Precisamos valorizar a floresta apropriadamente”.
Como diria o pensador peripatético Gabriel Chalita, “não entendi nada, mas adorei”.
Por que um neurocirurgião seria especialmente habilitado para falar sobre florestas, eis um desses mistérios que vão assombrar a humanidade por muitos séculos. Enigma de igual complexidade, só o de Sabatella. Tivesse eu sabido disso antes, teria acionado meu querido doutor Marcos Stavale, que já viu minha cabeça por dentro (ele ficou assombrado, mas mais não digo por modéstia, rá, rá, rá…), para indagar: “Marcos, é esperto cortar árvores da floresta?” Imagino a sua surpresa: “Xiii, devo ter feito uma lobotomia no Reinaldo sem querer…”
A turma do tal movimento Gota d’Água, aqueles artistas que acham que o Brasil precisa de energia só para ver a novela das nove e para carregar a bateria do iPhone, dá com destaque em sua página a intervenção de Danyl…
Eu, hein… Faz sentido!
Ainda lembro dessa moça dando umas piruetas em Blad Runner. Mexia com os meus melhores instintos. Agora a vejo num vídeo tartamudeando ignorâncias. Vida dura!
Digo e repito: acho que atores até podem dizer o próprio texto se não puderem recitar Shakespeare… Mas custa ter um mínimo de bom senso? Ou consultar um neurocirurgião?
Daryl, de meião, if you know..., em Blade Runner. Quero a minha andróide de volta!!!
Daryl, de meião, if you know..., em Blade Runner. Quero a minha andróide de volta!!!
Por Reinaldo Azevedo

Nenhum comentário: