25/10/2011

Presidente do PCdoB é chamado ao Planalto para discutir futuro de Orlando


Share/Bookmark
Estadão.com.br

O presidente do PCdoB, Renato Rabelo, foi chamado ao Palácio do Planalto na tarde desta terça-feira, 25. A princípio, chegou-se a divulgar que a reunião incluiria a presidente Dilma Rousseff e a ministra-chefe da Casas Civil, Gleisi Hoffmann. Segundo o Estado apurou, no entanto, a reunião foi apenas com o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

O tema do encontro não foi divulgado, mas o chamado ocorreu após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de autorizar abertura de  inquérito para investigar a participação do ministro Orlando Silva em irregularidades no Ministério do Esporte. governamentais. Esses convênios são alvo de denúncias envolvendo o programa Segundo Tempo que tem por objetivo estimular a prática de esportes entre jovens. O STF deu dez dias para que o Ministério dos Esportes apresente sua defesa. O ministro Orlando Silva, que está com o cargo a perigo em decorrência de denúncias de corrupção em sua pasta, não participa do encontro. Ele passou a tarde em audiência na Câmara dos Deputados, para falar sobre Copa do Mundo.

Na semana passada o ministro participou de audiências na Câmara e no Senado e nas duas negou as irregularidades. “Não há, não houve e não haverá qualquer prova contra mim”, disse. Na tarde de segunda-feira, 24, o policial militar João Dias Ferreira, delator do suposto esquema, prestou novo depoimento à Polícia Federal e apresentou áudios, imagens e documentos que, segundo ele, comprovariam as denúncias de fraude em convênios firmados com entidades. O material será submetido à perícia. Nesta terça-feira, 25, o Supremo Tribunal Federal autorizou a abertura de inquérito para investigar Orlando Silva.

Segundo o policial, nenhum dos áudios contém a voz do ministro Orlando Silva. Ele sustenta, no entanto, que o ministro tinha conhecimento e comandava o esquema. “O próprio secretário executivo dele me atendeu para dar instruções em seu nome”, afirmou. Nesta quarta-feira, 26, a presença do policial e do motorista Célio Soares Pereira é aguardada na audiência pública da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara para prestarem esclarecimentos sobre o caso.

 

Nenhum comentário: