17/10/2011

Orlando Silva terá 10 dias para se explicar à Comissão de Ética


Share/Bookmark
BRENO COSTA
DE BRASÍLIA


O ministro Orlando Silva (Esporte) terá de apresentar explicações por escrito à Comissão de Ética Pública da Presidência da República sobre as acusações feitas contra ele pelo policial militar João Dias Ferreira.

A decisão de abrir um procedimento formal prévio para apurar a conduta de Orlando Silva foi tomada por unanimidade pelos conselheiros, em reunião realizada na tarde desta segunda-feira (17), no Palácio do Planalto.

Ministro nega irregularidades e diz que denunciante é 'criminoso'
PF abrirá inquérito para investigar acusações contra ministro
Denúncias contra ministro do Esporte 'são infundadas', diz PC do B
PM acusa ministro Orlando Silva de montar esquema de corrupção

O PM afirma ter entregue dinheiro vivo ao ministro na garagem do ministério e diz que Silva é o mentor de um esquema de desvios de recursos públicos por meio do programa Segundo Tempo, tocado pelo ministério. O policial não apresentou provas. O ministro nega a acusação.

Alan Marques/Folhapress
Vou até as últimas consequências para defender minha honra', diz Orlando Silva
'Vou até as últimas consequências para defender minha honra', diz Orlando Silva

Silva terá dez dias para responder ao pedido de explicações, que será feito por meio de ofício a ser encaminhado ao Ministério do Esporte. O ofício, contudo, não significa que o ministro está sendo alvo de investigação.

Segundo o presidente da Comissão de Ética, Sepúlveda Pertence, somente após as apresentações das explicações pelo ministro é que a comissão decidirá se uma investigação formal será necessária.

O ofício, que deve ser enviado amanhã ao ministro, é genérico. Pede apenas explicações sobre o que foi publicado na imprensa a respeito do caso. Não foram formuladas perguntas específicas para o ministro.

Pertence ainda afirmou estar à disposição para receber o ministro do Esporte em audiência. Em entrevista coletiva concedida hoje, Orlando Silva afirmou que pretende se reunir com o presidente da Comissão de Ética.

Sepúlveda Pertence, contudo, disse que, ainda que ocorra uma audiência, o ministro terá de apresentar explicações por escrito.

Nenhum comentário: